Se asas são elementos que podem ser cultivados, então nosso carismático vizinho, sem dúvidas, seria considerado um dedicado agricultor, pois com zelo e criatividade regou as asas de minha filha durante o tempo que lhe foi permitido.
Primeiro, ele semeou em Sara o desejo de conhecer o mundo contando-lhe histórias dignas de Sherazade, tal qual um condenado que confia a própria vida ao seu poder de persuadir através de relatos encantadores. Suas narrativas eram sempre ricas em detalhes que, não fosse ele um analfabeto digital, eu juraria provenientes dos mais elaborados tours pelo Google. Afinal, como poderia aquele singelo senhor conhecer detalhes sobre destinos mais antagônicos que a romântica Gramado, no alto da Serra Gaúcha, a caliente Cancun, na costa mexicana, que além do mar azul turquesa oferece aos visitantes os mistérios da civilização Maia ou a anárquica Christiania, território independente no subúrbio da capital dinamarquesa?
Por tudo isso, mais sua paciência e dedicação, ele exercia sobre Sara uma influência cativante, que eu, ao perceber que não possuía armas para competir, acabei utilizando a meu favor. Era Tio Chico que me socorria sempre que minhas palavras não eram satisfatórias para convencer aquela criança de que uma blusa tão curta não era conveniente aos primeiros dias de junho ou qualquer outra coisa, assim como a adolescente que ela se tornou só cedia aos argumentos do vizinho-amigo-ídolo na hora de abaixar o volume do som e dedicar mais algum tempo às apostilas.
Com o tempo desisti do meu ciúme e fiz dele um aliado.
Depois que alguns anos se passaram e a compreensão de Sara cresceu inversamente ao comprimento de suas saias, o cultivador de asas do apartamento ao lado sentiu-se forte o suficiente para aduba-la com ideais em graus mais altos.
A desigualdade entre as classes sociais e todos os males provenientes dela eram seu tema recorrente.
Sara se emocionava profundamente sempre que Tio Chico decidia lhe oferecer descrições das terríveis possibilidades que decorriam da ganância humana. Nestas ocasiões ela comumente sofria de ataques de gastrite ou fortes enxaquecas.
Era impressionante observar como aquela jovem que, na maioria das vezes se mostrava indiferente aos dramas de vizinhas ou amigas, se transmutava em uma ouvinte perturbada diante da descrição de dores tão distantes do seu mundo.
Eu ainda não fazia idéia que a adversidade que dominava suas emoções era efeito colateral de suas asas, pois estas a obrigavam a sentir as injustiças sofridas pelos homens como facas em sua alma.


This entry was posted on 19:13 and is filed under . You can follow any responses to this entry through the RSS 2.0 feed. You can leave a response, or trackback from your own site.

9 comentários:

    Raffs disse...

    nossa..
    que coisa linda ^^
    quisera eu ter um tio chico desses na minha vida..
    pra me atinar pro mundo, coisa que só fiz na faculdade..

    é uma benção uma pessoa assim.
    muda a tragetória de toda uma vida. é uma dádiva ^^

    adorei o blog... como é agradável passear por suas palavras, tão bem encaixadas, escritas com a alma..

    amei mesmo... estou bastante emotiva esses dias. e você dedicando um blog às histórias de sua filha... é a perfeição da vida e do amor..

    parabéns...

    só tive um pouco de dificuldade com o contraste da cor escura... se pudesse colocar uma letra ou um espaçamento maior, a quatro-olhos aqui agradeceria imensamente ^^ rssssssssss....

    lindo blog!!

  1. ... on 16 de abril de 2009 11:50  
  2. Tamara Fernandes disse...

    Maitê...
    Ainda estou perplexa com a riqueza do seu blog.
    Não me contive em ficar somente na introdução, li tudo!
    Já adicionei aos meus favoritos e com certeza farei uma visita/leitura diária.
    Parabéns e muito sucesso!
    Aguardo mais atualizações..
    Um grande beijo,

    Tamara.

  3. ... on 16 de abril de 2009 12:39  
  4. Maite Lemos disse...

    Tamara, querida
    Q bom q gostaste.
    As atualizações serão feitas com o máximo de dois ou tres dias de intervalo, mas se eu estiver bem inspirada mesmo, atualizo todo dia.
    Bjnho


    Rafa!
    Quase não resisti à tentação de te deixar pensando q á história é real.
    To me esforçando muito pra te contar q é só um romance... uma ficção que, como todas, tem algum fundo de verdade, mas ele vem diluido em fantasia até o ponto de não se saber oq é fato ou imaginação.
    Espero q isso não tenha tirado a tua vontade de acompanhar!
    Bjnho

  5. ... on 16 de abril de 2009 13:18  
  6. Beatriz Vieira disse...

    Olá Maite

    Primeiro, obrigada pela visita ao meu blog. Fique a vontade para deixar suas opiniões sobre os temas lá postados.
    Bem, quanto a minha opinião de seus textos, achei eles muito bons: em resumo uma leitura muito agradável.
    Meu comentário X é de pensar em quais planos tens com esses textos pois seria muito interessante pensar em publicá-los. E aí a internet pode ser seu vilão pois alguém pode se apoderar de seus textos ou seu leitor poderá se sentir desrespeitado por ter um livro que está na net..
    É só uma ideia.. pense nisso

    abraços
    Bea

  7. ... on 17 de abril de 2009 19:03  
  8. Niler Barcelos disse...

    Olá Maite!

    Muito legal seu blog.

    Fico feliz quando encontro pessoas conhecidas que estão descobrindo o grande instrumento de comunicação que um blog pode ser.

    Abraço!

    Muito sucesso!!!

  9. ... on 18 de abril de 2009 05:49  
  10. Fer disse...

    Maite!!!
    Eu quase estava pensando que era tudo real! Minha pergunta seria: Voce tem outra filha que se chama Sara? (Vc me endoidou).... Ah! Li tudo e tambem sou fa da Audrey Hepburn. Fiquei com pena quando voce falou que ela caiu da cama... tadinha da Sara! Outra coisa: Quero teu endereco pois um dia (espero que nao seja mto distante) quero te mandar uma sapatilha bem fofa daqui. (coisa sobre sapatilhas que eu li la no penso em tudo....) E o numero do pe tambem. Voce deve se dedicar bastante aos seus textos pois tens este talento nao tao oculto e se comecasse a escrever livros ficarias rica! Parabens e beijao Fer (Que misturanca de assunto!) xau xau

  11. ... on 20 de abril de 2009 07:41  
  12. Viviane Gaidzinski disse...

    ADOREI... S o acho q sua amiga tem razao.. coisas assim tao belas nao deveriam ficar por aqui.. deveriam ser publicadas..

  13. ... on 20 de abril de 2009 08:45  
  14. Raffs disse...

    gostei do template!!

  15. ... on 21 de abril de 2009 16:52  
  16. Maite Lemos disse...

    Obrigada pela visita Niler.

  17. ... on 22 de abril de 2009 06:10